Que fontes cursivas posso usar na alfabetização?

Já vou te dar um spoiler: a resposta para a questão do título está lá no fim do texto. Mas antes, vamos voar um pouco e entender a importância de usar as fontes cursivas adequadas na alfabetização?

Fontes cursivas, fontes de forma, fontes diferentes: o desafio para as crianças em fase de alfabetização

Quem é educador sabe: não podemos utilizar qualquer tipo de fonte na hora de prepararmos as atividades. Isso porque para nós, que já estamos alfabetizados, o desenho de cada letra já está muito internalizado. Por isso, conseguimos identificar uma palavra, como “borboleta” escrita de diversas maneiras: em letras cursivas, em letras de forma, em CAIXA ALTA, e até mesmo com as letras embaralhadas, como “broboetla”.

Uma criança, porém, vê cada desenho como muito diferente. “A”, para ela, tem o desenho muito diferente de “a”, e por isso ela não reconhece como sendo a mesma letra. Convenhamos, é muito diferente mesmo, né? Se hoje nós conseguimos ler esses desenhos tão diferentes como se fossem a mesma letra, é porque alguém, há alguns anos atrás, se esforçou bastante para que a gente conseguisse (e acredite, não foi fácil).

Na hora de fazer uma atividade, seja impressa ou online, os educadores precisam se manter atentos à essa questão. Hoje, o processo de alfabetização costuma iniciar com as letras de forma (também chamadas de letras de bastão ou letras de imprensa) e, numa segunda fase, insere as letras cursivas. Se o professor não estiver atento à esse processo, pode passar um exercício que prejudique a leitura e, consequentemente, o processo de aprendizagem.

Quais fontes cursivas usar nas atividades?

Agora que a gente já entendeu a importância de usar as fontes adequadas, enfrentamos um desafio particular: isso porque os computadores vêm com uma variedade enorme de fontes instaladas, mas que dificilmente são adequadas para as crianças em processo de alfabetização, especialmente as letras cursivas.

fontes cursivas na alfabetização

Como a gente pode perceber, essas letras tem um desenho bastante avançado, que nem sempre ajuda no processo de alfabetização. Além disso, é importante perceber se essas fontes são adequadas para a realidade brasileira: nem todas as fontes possuem, por exemplo, o cedilha (ç). Já imaginou que chato elaborar uma atividade e, no meio dela, perceber que o computador escreve “pacoca” ao invés de “paçoca”? É por isso que a gente, aqui na Casa Sabiá, separou algumas fontes que achamos muito boas para elaborar as atividades, e que contribuem bastante com a alfabetização. Elas são, inclusive, as fontes cursivas que nós utilizamos no preparo das nossas atividades.

fontes cursivas na alfabetização

Mamãe que nos faz:

Até este momento, a Mamãe que nos faz é a nossa favorita. Ela tem as letras bem redondinhas, tanto nas maiúsculas como nas minúsculas, e tem um ar de infantilidade que nos agrada muito. O único problema dela é quando aparecem palavras que exigem a junção de certas letras, como é o caso do “bi” em Sabiá ou do “ve” em “Ave” e que acaba deixando as letras separadas.

Glam Queen:

A Glam Queen, por sua vez, resolve bem o problema da junção de letras com “b” e “v”, e é a nossa opção quando o texto tem muitas palavras com essas letras, ou quando a gente precisa trabalhar justamente esse tema com as crianças. No entanto, por não se tratar de uma fonte brasileira, a grafia de algumas letras, como o “p” minúsculo ou o “S” maiúsculo realmente não nos agradam. Por isso, essa fonte fica como segunda opção.

Learning Curve:

Quando o assunto é uma caligrafia mais itálica, no estilo da caligrafia comercial, a nossa opção é a Learning Curve. Como é normal da caligrafia comercial, trata-se de um traço mais estilizado, e por isso é mais adequado para as crianças mais treinadas na caligrafia.

Observações finais

Uma letra cursiva é, naturalmente, uma letra feita à mão, diferente da letra de forma, que já foi elaborada pensando na reprodutibilidade, especialmente depois do nascimento da imprensa. Por isso, é difícil encontrar uma letra de forma que reproduza 100% do que nós precisamos. Mas, como vimos, existem opções excelentes, e que contribuem bastante para deixar as atividades como precisamos.

Essa lista, é claro, não é exaustiva. Além dessas fontes que nós listamos, existem muitas outras no mercado, como a Irineu Brasil, a Primary Dots e a Déuxieme Rang. Isso sem contar naquelas fontes que se inspiram na infância, e que a gente vê em cartazes de filmes e propagandas, como a Hollidays e a My Ugly Handwriting.

1 thought on “Que fontes cursivas posso usar na alfabetização?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *